Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012


Jornal Cusilho Setor Santo Antônio do Monte - Setembro 2012

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Carta para um AMIGO

A perda de um amigo dói. Não esperamos perder alguém próximo e não aceitamos a perda, somos egoístas. As vezes perdemos tempo com coisas fúteis e esquecemos o que temos de mais valioso, os amigos. Amigos são "bálsamo" para as feridas de nossa alma, à cura de nossas tristezas. Amigo é um "tesouro", uma dádiva que conquistamos em nossa vida. Temos momentos em que estamos longe e afastados, damos um "tempo", porém nunca esquecemos deles e nunca deixamos de amá-lo, porque um amigo é para uma vida! Quando somos surpreendidos pela perda destes "amigos" é que vemos o quanto deixamos de falar para eles o quanto somos felizes por sua amizade e a palavra: "EU TE AMO MEU AMIGO!". Dói saber que não teremos mais o conselho amigo, a mão na cabeça para adular quando estamos errados e mesmo assim insistimos em nossos erros. Dói lembrar que perdemos um ombro para chorar nossas tristezas, nossas mágoas, nossas angústias. É difícil até mesmo escrever estas palavras para alguém que não vai mais ler, alguém que deveria saber antes, porém não sabemos "amar as pessoas como deveríamos amar", e quando nos damos conta disso, já é tarde.
Amigo, padrinho, irmão, pai... Deus sabe o quanto eu gostaria de poder te dizer tudo isso.. Te amo meu amigo!

sexta-feira, 11 de maio de 2012

The History of Saint Louise de Marillac

15 March - Patron of Social Work and Social Workers.
“What good is it, my brothers and sisters, if someone claims to have faith but has no deeds? Can such faith save them? Suppose a brother or a sister is without clothes and daily food. If one of you says to them, “Go in peace; keep warm and well fed,” but does nothing about their physical needs, what good is it? In the same way, faith by itself, if it is not accompanied by action, is dead.” (James 2, 14-17).
The church gives honors in its saints the manifestation of the Holy Spirit and the outpouring of His gifts and charismas of the most diverse forms. They are the heroes of faith who lived in hope and charity. They fully manifested the love of Christ in others.
France in the late sixteenth century was the scene of one of the saddest times in its history. The Civil War in 1590 brought to the French misery, famine, disasters, diseases and epidemics. Rich and poor, large and small, all suffered from the situation. The struggle for survival led the inhabitants of Paris to seek alternative forms of food, not always salubrious: herbs, rats, etc... The History records that more than 50,000 people died of starvation.
The Marillac Family, of noble lineage of the High Auvergne, a mountainous region of central France, had as a representative the illustrious Luis Marillac. In the year 1590, Louis de Marillac, who was widowed and childless, got married Marguerite Le Camus. On August 12, 1591, Louise de Marillac was born, a frail girl who needed a lot of care. Miss Marguerite could not stand the hard labors of childbirth and comes to die hours later. Inconsolable, Luis takes his girl in her arms and with she shares their pain and love. Over the years, Luis, feeling the weight of loneliness and longing for better care to Louise, agrees to marry the sister of Marguerite, who had been widowed with four children. Aunt Antoinette, not wanting to have work with Louise, convinces Luis to take her to the care of Dominican sisters. There, our girl was educated in the faith, and was reading the lives of the saints who she found comfort. The economic situation of Mr. Luis was, like that of all France, greatly impaired, and to avoid spending, Louise is taken from the convent. So, she was given to the care of a widow, where the pension was cheaper. Louise is instructed by the widow and landlady, always obedient and zealous in both studies as in the works.
During that time she felt in his heart the desire to become religious. Honorius onorius argued that his poor health would not stand the rigors of a disciplinary monastery. A stroke of pain! Louise loses her father in early adolescence. Miguel, brother of Louis, became his guardian and took Louise to live in his palace. Everything was very luxurious and refined. Louise, though he loves his uncle, he felt embarrassed in the midst of such luxury. There was a big party at the court, one of the most luxurious banquets. The young Louise charmed everyone with her simplicity and beauty. Antoine Le Gras, noble gentleman, fell in love with her. Mr. Antoine seeking Mr. Miguel and exposes their intentions to marry Louise. Our young girl, although you want to follow the religious life, accepted the proposal and marriage to please his uncle. Louise was 22 when she married Antoine Le Gras, at St. Gervais in Paris. Shortly thereafter, the following year, was born the first son of the couple, who receives the name of Michel Antoine. Ms. Louise is all devotion to her beloved husband, her son, the house, and always found time for the poor and underprivileged.
Antoine always traveled widely in the service, and Louise was always tireless in visiting the sick, washing their wounds and brings food, clothes and all that was necessary. One day, after a long trip, Antoine brought home, after consulting his wife, seven children of a couple of relatives who had died. Mr. Le Gras became seriously ill, being forced to leave work at the court. So, Louise assumes all responsibility for the house and the husband's business. Another stroke of pain! Mr. Antoine Le Gras died, with 45 years of age on December 21, 1625. Louise is a widow aged 34. Counseled by the Bishop of Belley, he met Father Vincent de Paul, rough-looking man, but simple ways of strong character and extreme kindness. "We must never lose sight of the divine model! We must see Jesus Christ in the poor, the poor and see the image of Christ "was the first board of Father Vincent to Louise de Marillac. Louise was enchanted with the life and mission of Vincent de Paul. His son Miguel Antonio begins studies at the seminary and she will live in a rented house. Louise meets the noble ladies of society and they will form a large army of volunteers.
It was then that Father Vincent and Louise founded the Brotherhoods of Charity. Louise started to target them under the direction of Father Vincent. Many young girls wanted to join to the ladies of the confraternities of charity. Louise welcomed and taught to all, at his home in St. Victor Street.
In November 1633, Father Vincent gives a new meaning to the ladies. Thus began the company of the daughters of charity, making vows of poverty, obedience and chastity. The Daughters of Charity visited the prisoners, serve the helpless elderly, abandoned children, etc.; the action field was vast. It is known that the health status of people in that time was so difficult e precarious. The plagues and epidemics were frequent and deadly. Daughters of Charity were dedicated to the most suffered. The abandoned children were taken off the streets by Louise and she gave them to the care for wealthy families. Louise has initiated process of future custody and adoptions for a multitude of orphans. Louise visited the houses to meet the reality of future parents of those children.
Louise de Marillac, a tireless warrior woman of love and charity, she made of her life a pilgrimage through the streets of Paris and of world, always giving support, nurturing, educating and comfort to the poor. His son became a lawyer always working for the common good. The Daughters of Charity are scattered all over the world, serving in hospitals, nursing homes, schools, shelters for minors, sanatoriums, etc... always bringing the love and the will of St. Vincent de Paul and Saint Louise de Marillac. On March 15, 1660, at age 69, Louise de Marillac says goodbye to his sisters and his life saying: “Be very careful, my daughters, with the service to the poor.”
St. Vincent, very old, could not attend the funeral of Louise. He died on 27 September of that year. “You know that the poor are our masters and master and we must love them with tenderness and respect them deeply”. May the example of love and gift of Louise de Marillac inspire us in doing good and help us achieve bliss. Saint Louise chose to defend the life from conception, accepting poor single mothers and pregnant women, elderly and sick people!
Therefore choose life you too!
Peace and Good!

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Prayer of Saint Louise de Marillac

Saint Louise de Marillac, who have known both suffering from the constraints of family, because you were deprived of the freedom to live your true calling to you to marry and thus suffered the bitterness of the difficulties in every way, intercede you with God to parents of our young people to know respecting the vocation that each one carries within himself, in the dignity and the right that God gives them.
Saint Louise de Marillac, who you were honored with the friendship of two famous priests who lived in the sanctity, Saint Francis of Sales and Saint Vincent of Paul, they who in the most important moments of your life, they showed to you a great light when you were in the dead end and could you live your vocation as helper of the poor, sick and unhappy. You founded with Saint Vincent of Paul the first nucleus of the Daughters of Charity, pray for us so that we do not live a life centered in ourselves, but on the needs so frequent  of our suffering brethren.
Through Christ our Lord.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Litany of Saint Louise de Marillac

Lord, have mercy on us.
Jesus Christ, have mercy on us.
Lord, have mercy on us.
Christ, hear us.
Jesus Christ, graciously hear us.

Heavenly Father, You are God, have mercy on us.
Son, Redeemer of the world, who are God, have mercy on us.
Holy Spirit, who are God, have mercy on us.
Holy Trinity, who are one God, have mercy on us.
Holy Mary, pray for us.
Saint Vincent of Paul, pray for us.

Saint Louise, pray for us.
Saint Louise, glorious foundress of the Sisters of Charity.
Saint Louise, our sweetest mother.
Saint Louise, beloved of God.
Saint Louise burnt in the love of God.

Saint Louise, most beloved of Jesus in the Blessed Sacrament.
Saint Louise, most devout of Jesus and Mary.
Saint Louise, excited great love for the poor.
Saint Louise, tireless servant of the poor.
Saint Louise, strong woman, happily found.
Saint Louise, with admirable courage in illness.

Saint Louise, most constant in fasting and prayers.
Saint Louise, endowed with inviolable obedience.
Saint Louise, resplendent in poverty and humility.
Saint Louise, master formed in quiet retreat.
Saint Louise, hands and a pure heart.
Saint Louise, model of all virtues.
Saint Louise, beautifully adorned with good works.
Saint Louise, beloved of God and of mankind.
Saint Louise, crowned with glory and honor.

Lamb of God, who taketh away the sins of the world,
Forgive us Lord.

Lamb of God who takes away the sins of the world,
Lord hear us.

Lamb of God who takes away the sins of the world,
Have mercy on us.

domingo, 6 de maio de 2012

O Milagre Eucarístico de Cássia, Itália, 1330

     Na cidade de Cássia, um bonito povoado, aninhado nas montanhas, na Umbria, Itália, perto de Sena, bastante conhecido por sua filha Santa Rita de Cássia, cujo corpo repousa na Basílica a ela dedicada, se conserva a Relíquia de um insigne Milagre Eucarístico ocorrido em 1330. Na Capela, debaixo do Tabernáculo, há uma caixa de cristal com os ossos do Beato Simone Fidati, que esteve envolvido no Milagre Eucarístico.
     Padre Simone Fidati, um sacerdote Agostiniano do século 14, apesar de ser jovem na região, era conhecido como muito sábio e santo, motivo pelo qual vários sacerdotes o procuravam para confessar.
      Um sacerdote certa vez o procurou para confessar-lhe que havia perdido o respeito pela Sagrada Eucaristia, e que não acreditava na presença real de Jesus Cristo, rezava a missa  por obrigação e se afastava de Deus cada vez mais.
     Ao se afastar de Deus, este sacerdote deixou de lado o respeito pelas coisas divinas e fazia com desdém seus trabalhos na Igreja. Certo dia ele recebeu um chamado de um enfermo para receber a Extrema-unção, era um camponês muito doente e que gostaria de receber a comunhão. O sacerdote deveria levar a Hóstia Consagrada em um relicário junto ao peito, porém como não mais acreditava e fazia as coisas de Deus simplesmente por obrigação, colocou-a entre as páginas de seu Breviário desrespeitosamente e foi até a casa do camponês.
     Ao abrir o Breviário ele ficou extremamente surpreso com o que constatou: A Hóstia Consagrada havia se convertido em sangue e as páginas entre as quais a Hóstia havia sido colocada, estavam manchadas de sangue.
     O sacerdote fugiu então em pânico e foi então a procura do Beato Simone confessar seu pecado, contar-lhe o milagre e pedir a absorvição do seu grande erro, que foi absorvido. O sacerdote entregou ao Beato Simone duas páginas de seu Breviário.
     Uma das páginas manchadas de sangue foi colocada no Tabernáculo de Perugia e a outra com a Santa Hóstia aderida à página foi para o mosteiro Agostiniano de Cássia.
      Em 1687, ocorreu o ato de reconhecimento da Relíquia do Milagre Eucarístico de Cássia. Para essa ocasião trouxeram do Convento de Santo Agostinho o texto de um antigo Códice que contém várias notas sobre o Prodígio. Além desse códice, o episódio é mencionado nos Estatutos Municipais de Cássia do ano de 1387, onde entre outras coisas, se ordenava que “cada ano, na festa de Corpus Christi, o Prefeito, os Conselheiros e todo o povo de Cássia, se reunissem na Igreja de Santo Agostinho e seguisse o clero que deveria levar a venerável Relíquia do Santíssimo Corpo de Cristo em procissão pela cidade”. No ano de 1930, por ocasião do sexto centenário do evento, foi celebrado um Congresso Eucarístico para toda a diocese de Nórcia, foi então que inauguraram um precioso Ostensório e publicaram toda a documentação histórica encontrada sobre o Milagre.
     Muitos papas promoveram o culto da Relíquia concedendo inclusive indulgências.
     Quanto a página com sangue, também venerada, ao longo dos anos, em Cássia, na Basílica de Santa Rita de Cássia, como "Corpus Domini", as pessoas notaram que no lugar do sangue começou a aparecer o rosto de Jesus Cristo. O sacerdote que mostra aos fiéis o milagre, coloca uma lanterna por trás da página para mostrar nitidamente o rosto.

Bibliografia consultada:

segunda-feira, 16 de abril de 2012


O tempo de Deus tem sua medição muito diferente da nossa que é medido em minutos, horas, dias... O Kairós, assim chamado o tempo de Deus é medido em aprendizagem. Na sua definição Kairós tem duplo significado: Cronos – Deus grego do tempo e também significa a hora certa, tempo oportuno ou simplesmente tempo de Deus. Deus às vezes para conceder um pedido ou interceder por nós, nos faz esperar às vezes um longo período de tempo humano, porém nesta espera aprendemos e crescemos na fé. É isto que ele quer! Aprendendo e crescendo na fé, amadurecemos espiritualmente e caminhos em direção a Ele.
A bíblia se inicia e termina com o Kairós: “No princípio Deus criou o céu e a terra” (Gn 1,1) e “Sim, eu venho em breve” (Ap 22,20).
Se observamos bem, Deus criou o mundo em 7 dias, porém ele poderia tê-lo criado em segundos. Visualizando a teoria do Big Bang, podemos descrever da seguinte forma:
- Houve uma grande explosão e desta explosão formaram-se os planetas: “No princípio criou Deus os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas... o dia primeiro” Gênesis 1:1-5
-Quando a terra estava se formando, houve uma grande atividade vulcânica, separando os continentes e dividindo o oceano: “E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas... segundo dia.” Gênesis 1:6
Depois veio os seres vivos, as plantas e por fim o homem, que foi a ultima criação de Deus, que o fez a sua imagem.
Estamos intimamente ligados a Deus e devemos reconhecer seu tempo, assim veremos quantos milagres presenciamos todos os dias, desde o romper da aurora até o brilhar das estrelas.
Deus quer que sejamos pacientes e tenhamos perseverança Nele como Jó teve em suas provações e mais que isso ele nós disse: - EU CONTO COM VOCÊ!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

O Milagre Eucarístico de Bolsena, Itália, 1264 - A Introdução do CORPUS CHRISTI - Parte II

A Eucaristia é o Sacramento do Amor, pois “Deus é Amor” ( I João 4,8) . Instituído pelo próprio Amor, Jesus Cristo, que “tendo-os amado, até o extremo os amou” (João 13,1)
"Trabalhai, não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, alimento que o FILHO do Homem vos dará, pois DEUS, o PAI, O marcou com um selo".  ( João 6,27)
"EU sou o Pão da Vida. Quem vem a Mim, nunca mais terá fome e o que crê em MIM nunca mais terá sede". (Jo 6,35)
"EU sou o Pão Vivo descido do Céu. Quem comer deste Pão viverá eternamente”. (Jo 6,51)
"E tomou um pão, deu graças, partiu e distribuiu-o a eles, dizendo: Isto é o Meu Corpo que é dado por vós. Fazei isto em Minha memória. E, depois de comer, fez o mesmo com o cálice, dizendo: Este cálice é a Nova Aliança em Meu Sangue, que é derramado em favor de vós". (Lc 22,19-20)

     Na primeira parte deste post O Milagre Eucarístico de Bolsena, Itália, 1264 - A Introdução do Corpus Christi - Parte I, nos foi explicado sobre a solene festa e procissão de Corpus Christi que tem uma história de mais de 6 séculos. Sua comemoração teve início em 1263, na cidade de Orviedo, na Itália. A solenidade está relacionada com o Milagre Eucarístico da cidade italiana de Bolsena.
     Nesta postagem vamos falar do Milagre Eucarístico que ocorreu naquele lugar. Um sacerdote, Pedro de Praga, que era da Boêmia, vivia angustiado por dúvidas sobre a presença real de Cristo na Eucaristia. Não conseguindo livrar-se desta questão, resolveu fazer uma peregrinação à Roma para rezar nos túmulos de São Pedro e São Paulo e pedir o dom da fé. Passando por Bolsena, o sacerdote resolveu celebrar uma missa na Cripta de Santa Cristina. Mesmo estando no altar, o religioso continuava cheio de dúvidas.
    Chegando a hora de partir a hóstia, após a Consagração, algo inesperado aconteceu. O Milagre Eucarístico de Bolsena surpreendeu a todos os presentes. A hóstia branca havia se transformado, milagrosamente, em carne viva. Entre as mãos trêmulas do sacerdote respingava sangue vermelho manchando sua roupa e as pedras do altar, contudo as mãos dos padres não haviam sido manchadas, porque a parte da hóstia que estava entre os seus dedos havia conservado o aspecto de pão ázimo.
     O sacerdote, então, levou a hóstia milagrosa e as peças manchadas com o preciosíssimo sangue para a sacristia e tratou de avisar as autoridades eclesiásticas.O Papa da época, Urbano IV, pediu aos bispos para que trouxessem a hóstia e o corporal até Orviedo. Então, ele mesmo, acompanhado de sua corte e do povo, foi receber o bispo que estava trazendo os objetos milagrosos na ponte do Rio Claro na entrada da cidade. Daquela ponte, o cortejo seguiu em procissão para a Catedral de Santa Prisca. Esta foi considerada a primeira Procissão do Corporal Eucarístico, que depois se estendeu a todo mundo católico com o nome de procissão de Corpus Christi.
      Um ano depois o Papa Urbano IV lançou o novo preceito sobre a festa de Corpus Christi que dizia: Na quinta-feira após a 8ª de Pentecostes de cada ano se celebrará uma festa com extraordinária solenidade em honra do Corpo do Senhor.
     São Tomás de Aquino foi encarregado pelo Papa para compor o Ofício da celebração. Em 1290 foi construída a Catedral de Orvieto, chamada de “Lírio das Catedrais”. 

Mais informações e fotos:

Bibliografia consultada:

sábado, 14 de janeiro de 2012

O Milagre Eucarístico de Bolsena, Itália, 1264 - A Introdução do CORPUS CHRISTI - Parte I

     Antes de iniciar esta postagem e continuar a série, gostaria de esclarecer que meu objetivo não é converter ninguém e sim evangelizar e mostrar as pessoas que tem interesse em conhecer, um pouco de história e fé, que move nossa Igreja. Visto este intuito, gostaria que os leitores enviassem comentários e indicações de postagem, para que possamos juntos crescer na fé e aprender cada vez mais.
     Não há como falar sobre o Milagre Eucarístico de Bolsena, sem mencionar antes o Corpus Christi, porque foi apartir deste milagre que a Igreja introduziu a festa de Corpus Christi.
     "A presença do verdadeiro Corpo de Cristo e do verdadeiro Sangue de Cristo neste sacramento [Eucaristia] 'não se pode descobrir pelos sentidos, diz Santo Tomás, mas só com fé, baseada na autoridade de Deus'. Por isso, comentando o texto de São Lucas 22,19 ("Isto é o meu Corpo que será entregue por vós"), São Cirilo declara: 'Não perguntes se é ou não verdade; aceita com fé as palavras do Senhor, porque ele, que é a verdade, não mente" (CIC §1381) A Igreja celebra na quinta-feira após a oitava de Pentecostes, a festa em honra ao “Corpo do Senhor”, conhecida pelo nome de “Corpus Christi” (Corpo de Cristo). 
     Essa grandiosa celebração tem sua origem em meados do século XIII, após o acontecimento do Milagre Eucarístico de “Orvieto – Bolsena” na Itália, em 1263.
     Segundo a História da Igreja, a Beata Juliana de Cornillon (1258), em uma revelação particular teria recebido de Jesus o pedido para que fosse introduzida no Calendário Litúrgico da Igreja, a Festa de “Corpus Domini”.
     Em uma Celebração Eucarística presidida pelo padre Pedro de Praga, na cripta de S. Cristina, na cidade italiana de Bolsena, ocorreu o Milagre Eucarístico: da hóstia consagrada caem gotas de sangue que mancham o corporal (toalhinha branca quadrada de linho e engomada. Chama-se corporal porque sobre ela se coloca o Corpo do Senhor que está na âmbula e no cálice).
     O Papa Urbano IV (1262-1264) que morava na cidade italiana de Orvieto, determina que as relíquias do Milagre Eucarístico fossem transladadas da cidade de Bolsena a Orvieto, o que é feito em procissão.
     Em 11 de agosto de 1264, o Papa Urbano IV emitiu a Bula Transiturus de Mundo, onde instituiu a Festa de Corpus Christi, a ser celebrada no Calendário Litúrgico da Igreja, na quinta-feira após a oitava de Pentecostes. São Tomás de Aquino foi o encarregado de compor o Ofício Festivo próprio da Celebração.
     Em síntese, é esta a origem da Festa de Corpus Christi, que celebramos em Procissão pelas ruas de nossa cidade, ornada com belos tapetes, em honra ao Santíssimo Corpo de Cristo, que passa a nos abençoar.
     Na próxima postagem falaremos do Milagre acontecido em Bolsena. Aguarde!

Bibliografia consultada:

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

O Milagre Eucarístico de Santarém – Portugal (1247)

Este milagre aconteceu no dia 16 de fevereiro de 1247, em Santarém, 65 km ao norte de Lisboa. O milagre se deu com uma dona de casa, Euvira, casada com Pero Moniz, a qual sofrendo com a infidelidade do marido, decidiu consultar uma feiticeira que morava perto da igreja da Graça. Esta bruxa prometeu-lhe resolver o problema se como pagamento recebesse uma Hóstia Consagrada. Depois de naturais hesitações, Euvira consentiu no sacrilégio. Para obter a Hóstia, a mulher fingiu-se de doente e enganou o padre da igreja de S. Estevão, confessou-se e pediu comunhão, que lhe foi concedida em um dia de semana. Assim que ela recebeu a Hóstia, sem o padre notar, colocou-a nas dobras do seu véu. De imediato a Hóstia começou a sangrar, o que fez com que várias pessoas a perguntassem qual ferimento lhe havia ocorrido para que tanto sangue jorrasse. Assustada, a mulher correu para casa na  Rua das Esteiras, perto da Igreja e escondeu o véu e a Hóstia numa arca de cedro onde guardava os linhos lavados. À noite o casal foi acordado com misteriosos raios de luz saindo da arca. Inteirado o homem, então, do ato pecaminoso de sua mulher, ambos passaram o resto da noite de joelhos em adoração. Mal rompeu-se o dia, o pároco foi informado de tal prodígio sobrenatural. Espalhado o sucesso, metade de Santarém acorreu pressurosa a contemplar o Milagre. A Sagrada Partícula foi então levada dentro de uma espécie de custódia feita de cera. Mas passado o tempo ao abrir-se o sacrário para expor à adoração dos fiéis o Santo Milagre - como era de costume -, encontrou-se a cera feita em pedaços e com espanto, viu-se que a Sagrada Partícula estava encerrada numa âmbula de cristal, miraculosamente aparecida. Varias investigações eclesiásticas foram feitas durante 750 anos. As realizadas em 1340 e 1612 provaram a sua autenticidade. Em 5 de abril de 1997, por decreto de D. Antonio Francisco Marques, Bispo de Santarém, a Igreja de S. Estevão, onde está a relíquia, foi elevada  a Santuário Eucarístico do Santíssimo Sangue.
Alguns links interessantes:


Bibliografia consultada:

sábado, 7 de janeiro de 2012

Você conhece os milagres da “transubstanciação”?

                 Segundo o dicionário Michaelis, transubstanciação significa: sf (transubstanciar+ção) 1 Conversão de uma substância noutra. 2 Teol catól rom Transformação da substância do pão e do vinho, durante a consagração da missa, na substância do corpo e sangue de Jesus Cristo. Para nós católico é o momento mais sagrado da Santa Missa, onde a Hóstia e o vinho após consagração se transformão em Corpo e Sangue de Cristo. Muitas pessoas não conhecem o verdadeiro significado de tal milagre, outras nem acreditam, somente comungam por comungar. Pesquisando um pouco sobre o assunto, encontrei algum relatos importantes e interessantes, que postarei aqui no blog em uma pequena série de posts. Começamos o primeiro post, com o MILAGRE DE LANCIANO - ITÁLIA (ANO 750). Na Igreja de São Francisco, uma inscrição do século XVII, feita em mármore descreve o Milagre Eucarístico que aconteceu: "Um monge sacerdote duvidou que na Hóstia consagrada estivesse realmente presente o Corpo de Cristo e no Cálice, o seu Sangue. Celebrou a missa e depois de pronunciar as palavras da consagração, viu que a Hóstia tinha se transformado em Carne e o vinho em Sangue. Tudo isso foi mostrado ao povo." Até o presente dia, a Carne está inteira e o Sangue dividido em cinco partes desiguais, possui o mesmo peso, estando as partes unidas ou separadas.
               No ano de  1970, o Arcebispo de Lanciano e o Provincial dos Frades Conventuais de Abruzzo, autorizados por Roma, pediram ao doutor Edoardo Linoli, director do hospital de Arezzo e professor de Anatomia, Histologia Química e Microscopia Clínica, uma minuciosa análise científica das Relíquias de um Milagre de doze séculos atrás. No dia 4 de março de 1971, o professor apresentou um relatório detalhado dos estudos realizados. Eis as conclusões:
1 – A “Carne milagrosa” é verdadeiramente carne do tecido muscular fibroso do miocárdio.
2 – O “Sangue milagroso” é verdadeiro sangue, demonstrado, com certeza absoluta, pela análise cromatográfica.
3 – O estudo imunológico manifesta seguramente que a carne e o sangue são humanos e a prova imunológica revela com segurança que ambos pertencem ao grupo sangüíneo AB, o mesmo grupo do homem do Santo Sudário e característico das populacões do Oriente Médio. Esta identidade do grupo sangüíneo indica ou que a Carne e o Sangue são da mesma pessoa ou que pertencem a dois indivíduos do mesmo grupo sangüíneo.
4 – As proteínas contidas no Sangue estão normalmente distríbuidas numa percentagem idêntica às de um sangue fresco normal.
5 – Nenhuma sessão de histologia revelou traços de infiltrações de sais ou de conservantes utilizados nas antigas civilizações para mumificar corpos.
       O professor Linoli descarta também a hipótse que alguém, no passado, quisesse realizar uma fraude. O seu relatório foi publicado nos “Quaderni Sclavo in Diagnostica” (fasc. 3, Gráfica Meini, Sena, 1971) e causou um grande interesse no mundo ciêntífico.
        Em 1973 o Conselho Superior da Organização Mundial de Saúde, organismo da ONU, nomeou uma comissão ciêntífica para verificar as conclusões do médico italiano. Os trabalhos duraram 15 meses e foram feitos 500 exames. Realizaram-se as mesmas pesquisas feitas pelo professor Linoli e outras complementares. Os exames confirmaram que os fragmentos retirados em Lanciano não são semelhantes a tecidos mumificados. A comissão declarou que a Carne é um tecido vivo porque responde a todas as reacções clínicas próprias dos seres vivos. A Carne e o Sangue milagrosos de Lanciano tem as mesmas características de carne e sangue recém extraídos de um ser vivo. Esse relatório confirma as conclusões do professor Linoli. As conclusões do pequeno resumo dos trabalhos ciêntíficos da Comissão Médica da OMS e da ONU, publicado em dezembro de 1976 em Nova York e em Genebra declaram que a ciência, consciente dos seus limites, não é capaz de dar uma explicação natural aos fenômenos.
Biografia consultada:
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...